×

Brasileiros que estavam na Bolívia e no Paraguai começam a chegar em Rondônia

Deputada Jaqueline Cassol mobilizou órgãos públicos e conseguiu 5 ônibus para o traslado dos alunos

Brasileiros que estavam na Bolívia e no Paraguai começam a chegar em Rondônia - noticias - jaqueline cassol
Os estudantes brasileiros que estão na Bolívia e no Paraguai começam a retornar para casa, depois da missão de repatriação mobilizada pela deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO). Nessa semana um grupo, de 42 alunos que estavam na cidade de San Pedro Juan no Paraguai, chegou em Rondônia e hoje (17) mais uma turma de Ciudad del Este, também naquele país, embarcou rumo ao Brasil.

A missão de repatriação teve início na semana passada com o traslado de 159 rondonienses que estudam na Bolívia. Os jovens estudam em Cochabamba e Santa Cruz de La Sierra e tiveram as aulas suspensas por causa da pandemia do novo coronavírus. No entanto, a deputada explica que a mobilização começou com o fechamento das fronteiras entre os países vizinhos, no dia 18 de março.

Ainda há cerca de 300 rondonienses na Bolívia e devem retornar às suas cidades natais na próxima semana. No total, quase 500 pessoas serão trazidas de volta Brasil.

“Com o fechamento das fronteiras e as medidas de segurança impostas pelos governos bolivianos e paraguaios os alunos que residem em ambos os países me procuraram temerosos com o que poderia acontecer. Desde então, tenho mantido contato com os órgãos de relações internacionais responsáveis pela repatriação e com prefeituras e Governo de Rondônia para pedir apoio ao traslado. Felizmente deu certo”, disse.

MISSÃO- Para a concretização da missão de repatriação e resgate a deputada conseguiu o apoio do Governo de Rondônia, que assumiu a coordenação da ação através da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, e das prefeituras de Vilhena e Rolim de Moura, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) e da Universidade de Rondônia Campus Rolim de Moura que cederam ônibus e custearam as despesas das viagens para o traslado dos alunos.

Os consulados do Brasil em cada cidade (Cochabamba e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia e San Pedro Juan e Ciudad del Este no Paraguai) foram os responsáveis pelo processo de repatriação.

“Agradeço a todos os parceiros que entenderam a necessidade urgente dessa ação e não tem medido esforços para trazer os rondonienses para casa. Muitos deles já estavam enfrentando sérias dificuldades financeiras e sem mantimentos devido ao fechamento de bancos e dos mercados”, afirmou a deputada.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Accessibilidade