×

Bancada Federal de RO cobra atitude do Ministro da Saúde em relação à Covid-19

O Ministério da Saúde se comprometeu a encaminhar uma resposta oficial para a Bancada Federal de Rondônia, com nova avaliação da quantidade de doses de vacina encaminhadas para o estado.

Bancada Federal de RO cobra atitude do Ministro da Saúde em relação à Covid-19 - noticias - jaqueline cassol A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO), junto com os 7 deputados federais e três senadores que compõem a Bancada Federal de Rondônia,  participou de uma reunião on line, na tarde de segunda-feira (5), com o ministro da saúde, Dr. Marcelo Queiroga. Na reunião foram discutidos assuntos como a distribuição de vacinas contra a Covid-19, falta de médicos e de leitos de UTI.

“Em três dias, mais de 40 médicos pediram demissão do sistema público de saúde de Rondônia. Eu entendo que os profissionais precisam buscar melhores condições de trabalho, mas reforço que através do Programa Mais Médicos, contratem os médicos formados no exterior. Eles querem somar com os médicos com CRM que tem todo o meu respeito e admiração”, solicitou a deputada.

Durante a reunião, também foi questionada a quantidade de vacinas contra a Covid-19 enviadas para Rondônia, para atender o público prioritário. De acordo com o coordenador da bancada, deputado  Lúcio Mosquini, Rondônia tem 617 mil pessoas do público prioritário e até o momento, 213 mil doses da vacina foram recebidas no estado, um déficit de recebimento de 180 mil doses da vacina.

“Recebi essas informações da Secretaria Estadual de Saúde de Rondônia. Se há erro na conta, isso precisa ser corrigido, pois a população não pode ser prejudicada”, defendeu Mosquini.

De acordo com a Coordenadora Nacional de Imunização, Francieli Fantinato, o cálculo de envio de vacinas para Rondônia, foi baseado principalmente nos dados do último censo do IBGE, realizado em 2010.

“O Plano Nacional de Imunização foi construído por meio dessa estimativa, podendo haver uma margem de erro. Nesse momento nós estamos reavaliando os indicadores para atualizar”, explicou Francieli.

Segundo o Ministro da Saúde, Dr. Marcelo Queiroga, os critérios de envio da vacina acompanham o plano do PNI, que é reconhecido mundialmente e vacina os brasileiros sem distinção.

“Não há, pelo menos da minha parte, nenhum tipo de determinação de beneficiar um estado ou outro. Os cálculos estão sujeitos a erros. Eu já pedi ao corpo técnico do Ministério da Saúde que fizessem análises, de forma clara e pública. Se houver qualquer tipo de impropriedade em relação a Rondônia, será corrigido”, garantiu Queiroga.

O Ministério da Saúde se comprometeu a encaminhar uma resposta oficial para a bancada Federal de Rondônia, com uma avaliação dos números de envio das vacinas.

Fonte: Assessoria de comunicação

Accessibilidade